Feirantes rebatem fala de secretário estadual sobre suposta influência das feiras para aumento no número casos de covid-19

Em entrevista à Rádio Jornal Caruaru, na última segunda-feira (18), o secretário estadual de Justiça e de Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, creditou às feiras  realizadas, no último bimestre do ano passado, como um dos possíveis fatores responsáveis pelo aumento no quantitativo de casos de covid-19 registrados, neste início de janeiro, na região Agreste.


“Nós estamos creditando isso [aumento dos casos], infelizmente, àquele período de fim de ano, aquelas feiras que aconteceram, que coincide também com o período de férias [...]. Se houver necessidade, nós podemos fechar parques, podemos fechar praias. O que nós não vamos admitir e nem queremos é que a população pague pela vida de seus entes queridos”, destacou à Rádio Jornal, Pedro Eurico.


“O governo não deixará de tomar medidas restritivas se houver crescimento. Quero pedir a população que nos ajude também no Agreste. Não podemos ver esses números caminharem para uma superlotação das UTIs”, reforçou Eurico.


Repercussão


Em Caruaru, na região Agreste, uma série de feiras é realizada de forma constante tendo como a mais famosa a da Sulanca. As afirmações do secretário causaram apreensão nos sulanqueiros, que agora temem por uma nova interrupção das atividades do empreendimento.


"Se a Feira de Caruaru fechar de novo, vamos morrer de fome. Atualmente, não existe mais auxílio emergencial do Governo e não temos como sobreviver. Todos viram a situação difícil em que ficamos no ano passado, quando houve a paralisação da Sulanca. Para a sobrevivência da cidade, a feira não pode parar", comentou o sulanqueiro Osmar Pedro.


Procurado pela reportagem, o presidente da Associação dos Sulanqueiros de Caruaru, Pedro Moura, questionou as afirmações de Pedro Eurico quanto a suposta influência negativa das feiras de Caruaru e dos demais municípios que compõem o Polo de Confecções do Agreste (Santa Cruz do Capibaribe e Toritama) para o aumento no número de casos de covid-19, na região.


"A realidade é que as feiras do Polo de Confecções não estão provocando o aumento em relação aos casos do novo coronavírus. Todos os protocolos estão sendo cumpridos. Por exemplo, na Feira de Caruaru, mais precisamente no setor da Fundac, bombeiros civis vêm realizando fiscalizações nas 12 entradas, verificando o uso de máscaras, álcool em gel  e aferindo as temperaturas de todos. Além disso, em toda feira da Fundac existem 12 lavatórios, que se encontram à disposição para que os comerciantes e compradores possam fazer a higienização".


"Já no setor da Brasilit foram instaladas cancelas, onde os profissionais de Saúde de Caruaru só permitem a entrada das pessoas, com as utilizações de máscaras, álcool em gel e após a medição de temperatura. Além disso, todos os feirantes estão orientados a não atender os consumidores sem máscara. Portanto tanto os clientes como os feirante se encontram cumprindo o protocolo da covid-19. Também é importante frisar que esse aumento no número de casos se deve várias a outras situações que ocorreram, como por exemplo, as Eleições Municipais 2020, onde inúmeras aglomerações foram registradas. Ou seja, as feiras não podem se acusadas como responsáveis pelo crescimento de casos de coronavírus na região", finalizou Pedro Moura.

Cabo de Santo Agostinho: Keko do Armazém é o primeiro prefeito a ter suas contas eleitorais aprovadas

O prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Keko do Armazém teve suas contas aprovadas, pela juiz da 15ª Zona Eleitoral do município, Ivanhoé Holanda Félix. 


O parecer favorável foi divulgado, nesta quinta-feira(21), após o Órgão Técnico avaliar que todas as exigências da Legislação Eleitoral foram plenamente atendidas pelo candidato. 


As contas são aprovadas quando se há convicção de que todas as obrigações eleitorais impostas pela legislação de regência estão integralmente adimplas conforme o relatório final examinado pela Justiça Eleitoral. 


“É o início de uma nova história para o Cabo de Santo Agostinho. Depois de tantos anos, a nossa cidade sofrendo com escândalos de corrupção. Chegou a vez de mudar a nossa história. Resgatar o nome da nossa cidade, devolver a credibilidade política”, afirmou Keko do Armazém.

Após suspensão de eventos sociais e corporativos pelo Governo, Mendonça cobra de Paulo Câmara apoio financeiro para o setor

O ex-ministro Mendonça Filho cobrou do governador Paulo Câmara, nesta quinta-feira (21/01), apoio aos profissionais e empresas de eventos, um dos segmentos mais prejudicados pela pandemia. “Priorizar a saúde e a controlar a propagação do vírus e da covid-19 é fundamental. Mas o Governo tem obrigação de oferecer apoio financeiro ao setor de eventos, uma cadeia produtiva que envolve milhares de profissionais do garçom, ao recepcionistas, doceiras”, afirmou Mendonça, comentando a suspensão de eventos sociais e corporativos. 


Dados da Associação Brasileira de Empresas de Eventos, seção Pernambuco, apontam que o setor passou 320 dias sem trabalhar na integralidade. Segundo Mendonça, falta sensibilidade da gestão do PSB para gerir a crise da Covid_19 priorizando a saúde e cuidando da economia. “Não estou falando de grandes eventos. Até porque alguns desses promotores contam com o “amparo do poder” nas gestões socialistas. Defendo apoio aos profissionais e pequenos empreendedores que só dependem dessa renda para viver e foram abandonados pelo Governo Paulo Câmara”, completou.


O Governo do Estado anunciou a suspensão dos eventos sociais e corporativos, a partir da próxima segunda-feira (25/01), pelo prazo de 30 dias. Foram suspensos os eventos sociais como aniversário, casamentos, batizados, formaturas e corporativos que podiam ser realizados, até então, com a capacidade de 150 pessoas.

Estudante pernambucano de 17 anos, aprovado em Harvard, visita Alepe

Poderia ser mais uma aprovação em seu currículo, mas o estudante pernambucano João Victor Arruda, de 17 anos, ingressou em uma das mais conceituadas Universidades dos Estados Unidos, a Harvard. Victor foi o único aluno do Norte e Nordeste a ser admitido pela instituição americana. Filho de uma professora de inglês aposentada e de um taxista, o estudante concorreu com mais de 10 mil inscritos em todo o mundo no programa _EducationUSA_. 


Acompanhado dos pais, José Francisco e Patrícia Bezerra, João Victor foi recebido, nesta quinta-feira (21), na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), pelo deputado Alberto Feitosa (PSC), que representou presidência da Casa. 


Durante o encontro, o estudante foi presenteado com três livros: um exemplar sobre o patrono da Alepe, Joaquim Nabuco, e dois sobre a Revolução de 1817. 


João Victor diz que pretende aplicar no Brasil todo o conhecimento que adquirir em Harvard. “Eu pretendo fazer o curso de _government_, o equivalente à Ciência Política, com foco na gestão pública, e trazer para o Brasil tudo que aprenderei lá. Trazer conhecimento para tentar melhor a situação do Brasil nas diversas áreas”, afirmou.


Trajetória


Após concluir o ensino fundamental no Centro Educacional Professora Jovelina, em Camaragibe, João Victor foi aprovado em primeiro lugar nos concursos para o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), o Colégio Militar do Recife e a Escola Técnica Estadual de PE. Optou pelo Colégio Militar. O estudante revelou que aposta no poder da diplomacia e da política para melhora a vida dos brasileiros. 


“Como estudante do ensino médio, vendo o mundo da diplomacia e do Direito, desenvolvi uma afeição grande por isso. Muitas pessoas veem a política como algo associado à corrupção, mas eu acredito muito no poder transformador da política e da educação”, enfatizou.  


Aula de Cidadania


A visita do estudante à Alepe seguiu o modelo de roteiro que é adotado no projeto “Aula de Cidadania - conhecendo a Alepe de Perto”, oferecido pela instituição a estudantes de escolas públicas e particulares. 


João Victor e os pais conheceram as instalações da Assembleia como os gabinetes, os auditórios e o plenário de votação. Por fim, foi recebido por deputados no chamado “buraco frio”, sala reservada aos parlamentares. 


Para o deputado Alberto Feitosa, João Victor é uma “inspiração” para todos. “Tenho absoluta certeza de que vamos entregar o Brasil a essa nova geração e eles devem seguir esse exemplo, o caminho do conhecimento e da lucidez de João”.

João Campos cria canal de denúncias contra “fura fila” na vacinação

Prefeitura do Recife irá articular parceria com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que as denúncias feitas através da ferramenta ‘Respeite a Fila’ sejam apuradas

 

A Prefeitura do Recife criou um canal voltado para denúncias de pessoas que tentarem burlar a fila de vacinação contra a covid-19. A ferramenta “Respeite a Fila” tem o objetivo de estimular o controle social e impedir que a população que não se enquadra nos grupos definidos em cada fase do Plano Recife Vacina receba as doses. A Prefeitura do Recife vai articular parceria com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que as denúncias feitas pelo canal sejam apuradas e que sejam aplicadas as medidas cabíveis. O canal de denúncias irá funcionar no aplicativo Conecta Recife e já está disponível no webapp https://conectarecife.recife.pe.gov.br.  

 

A iniciativa será coordenada pela Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife, em conjunto com a Procuradoria e Controladoria Geral do Município. "Antes mesmo do início do processo de vacinação contra a covid-19, falei que não iríamos admitir pessoas desrespeitando a ordem de prioridade no Recife. Por isso, criamos um canal de denúncias, o 'Respeite a Fila', que já está funcionando dentro no site do Conecta Recife. Vamos assinar um termo de parceria com o Ministério Público de Pernambuco para que essas informações que chegarem à Ouvidoria da Prefeitura também sejam enviadas prontamente ao órgão, para a apuração e o encaminhamento das medidas cabíveis. Não vamos tolerar privilégios", avisou o prefeito João Campos. 


Nesta primeira fase do Plano Recife Vacina, podem se vacinar trabalhadores de saúde da linha de frente; idosos acima de 60 anos que vivem nas Instituições de Longa Permanência e os funcionários desses locais; e pessoas com mais de 18 anos com deficiência severa que moram em residências inclusivas. Até o momento, a capital pernambucana recebeu, do Ministério da Saúde, 66,2 mil doses, o que garante o esquema vacinal completo para 33,1 mil pessoas. Desde terça-feira (19), 13 equipes itinerantes estão seguindo um cronograma para vacinar o público-alvo. Até ontem, foram vacinadas 2.714 pessoas. 

 

PRÓXIMA FASE - Com a chegada de mais doses e a possibilidade de ampliar o público, a Prefeitura do Recife passará a dispor de 65 salas de vacinação em nove pontos espalhados pela cidade. 


Os pontos de vacinação estarão localizados no Compaz Dom Helder Câmara, Coque; Escola Mário Melo, no bairro de Campo Grande; Escola Nilo Pereira, em Casa Amarela; Compaz Miguel Arraes, na Caxangá; Compaz Ariano Suassuna, no Cordeiro; Escola Miguel Arraes de Alencar, na Estância; Ginásio Geraldão, na Imbiribeira; Escola Nadir Colaço, na Macaxeira; e UPA-E Fernando Figueira, no Ibura. Os pontos do drive-thru serão no Parque da Macaxeira, Geraldão e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).


Com o aumento das doses enviadas pelo Ministério da Saúde, o Plano tem a capacidade de estender a quantidade de salas para mais de 200 em um total de 26 pontos. Esse formato permite a manutenção do funcionamento da Saúde Básica, com as 114 Unidades de Saúde da Família servindo de retaguarda para a vacinação.


A Prefeitura do Recife já dispõe de toda a estrutura disponível para a vacinação de toda a população prevista para a primeira fase, estimada em 165 mil pessoas. Tanto nos insumos, como as seringas, como na capacidade de armazenamento e refrigeração.

PREFEITURA REORGANIZA FEIRAS LIVRES EM BREJO SEDE, FAZENDA NOVA E SÃO DOMINGOS

A Prefeitura de Brejo da Madre de Deus reorganizará suas feiras livres na sede do município, Fazenda Nova e São Domingos.


Devido ao aumento no número de casos da covid-19 em todo estado de Pernambuco, o prefeito Roberto Asfora, preocupado com a situação, conversou com os Secretários de Saúde e de Agricultura para que sejam reorganizados os espaços das feiras livres.


“Vamos intensificar as medidas de distanciamento social nas feiras livres de nosso município. Já a partir das próximas feiras, os bancos deverão respeitar o distanciamento mínimo de 1.5m de um banco para o outro numa mesma fileira, um distanciamento que possa ocorrer uma livre circulação e menos aglomeração possível e entre fileiras. Todos os bancos serão deslocados de seu local de origem para adequação do distanciamento, respeitando a ordem já existente nas feiras”, destacou Jefferson Marinho, secretário de Agricultura.

“Vamos com fé em Deus construir esse novo tempo", afirma prefeito Zé Martins sobre futuro da cidade de João Alfredo

O novo prefeito de João Alfredo, Zé Martins (PSB), em recente entrevista concedida ao programa Cidade em Foco, da Rede Agreste de Rádios e para o Blog do Alberes Xavier, revelou dificuldades encontradas no início de sua gestão no município, relatou o sucateamento da prefeitura e pontuou débitos deixados pela antiga gestão da ex-prefeita Maria Sebastiana (PSD).


Na oportunidade, o gestor falou sobre as dificuldades enfrentadas neste início de gestão. "Não tem sido difícil, agora venderam para nós um quadro e quando chegamos aqui nos deparamos com outro quadro. Computadores todos apagados, os que não foram danificados, apagaram tudo, sem informação nenhuma, dificuldades para a gente obter as informações”, relatou. 


De acordo com Zé Martins, a antiga gestão, representada pela ex-prefeita Maria Sebastiana, alegava que deixou recursos no caixa da prefeitura, entretanto, de acordo com o novo prefeito, a prefeitura sofre com a falta de recursos para honrar compromissos da gestão anterior. 


Além disso, o prefeito destacou a presença de máquinas e frotas de automóveis danificados, bem como, materiais da saúde vencidos e cestas básicas danificadas. "Infelizmente não estamos neste mar de rosas que o povo do outro lado e os administradores anteriores propagavam não”, disse.


Zé Martins apontou na oportunidade débitos da antiga gestão com a folha de pagamento e a previdência social. "Vamos procurar resolver a questão dos servidores e da previdência social, porque não se admite, ela (Maria Sebastiana) fez um parcelamento de 200 meses de um débito que tinha junto ao Regime Próprio de Previdência e não pagou uma parcela se quer”, disse.


Apesar das dificuldades iniciais, Zé Martins falou com otimismo sobre o futuro de João Alfredo agora sob o comando de sua administração. "Tenho plena certeza que vai dá certo, é difícil, mas o povo está nos ajudando, compreendendo nossa situação e vamos com fé em Deus construir esse novo tempo", destacou.

Tecnologia pernambucana ajuda municípios na identificação de lacunas de aprendizagem causadas pela pandemia

Solução criada pela Editora Mundo Educacional, em parceria com pesquisadores do Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), pode auxiliar redes no ano letivo de 2021


A pandemia da Covid-19 teve impacto nos sistemas de ensino de todo o mundo, que precisaram se adaptar às limitações impostas pela crise sanitária. Em Pernambuco, com o fechamento de escolas, alguns alunos puderam continuar as atividades em diferentes modalidades: online, via televisão ou com conteúdos impressos entregues pelas equipes pedagógicas. Após as adaptações, em caráter de urgência, feitas em 2020, os municípios precisam organizar a retomada do ano letivo de 2021 com planejamento detalhado. Para isso, uma solução foi criada no estado, pela Mundo Educacional Editora, em parceria com grupo de pesquisa do Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), para auxiliar as redes municipais na organização da volta às aulas.


A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e, posteriormente, o Conselho Nacional de Educação (CNE) recomendam, para o retorno às aulas, a realização de uma avaliação para diagnosticar as lacunas de aprendizado dos estudantes. Esse seria, de acordo com os órgãos, os primeiros passos para criar planos de ação voltados à redução dos danos gerados na pandemia. A realização dos diagnósticos é fundamental para assegurar que as aprendizagens essenciais sejam adquiridas em 2021.


Identificar as defasagens na aprendizagem e os pontos de melhoria em cada segmento é fundamental para que as redes de ensino e as escolas possam planejar, de fato, os próximos passos. “As desigualdades na aprendizagem dos estudantes vêm sendo mostradas em vários estudos no Brasil. Na pandemia, houve um aprofundamento dessas assimetrias. Identificar as defasagens que ficaram de 2020 é fundamental para planejar 2021. Para isso, é preciso avaliar o nível no qual se encontra cada estudante, ou seja, entender o que ele sabe do ano anterior para que se possa recuperar o desenvolvimento dessas habilidades”, explica o consultor em gestão de projetos da Mundo Educacional e especialista em psicopedagogia institucional, Rubenildo Moura, que tem experiência como consultor da Unesco, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).


Por causa das restrições ainda vigentes e para evitar a disseminação do novo coronavírus, a avaliação diagnóstica deve ser feita nas residências dos estudantes. A avaliação é individual, e são emitidos relatórios personalizados para os municípios, que, a partir dos resultados, terão evidências científicas da situação atual da rede de educação. “Compreendemos que 2020 foi um ano atípico e cada município, individualmente, trilhou os seus percursos para atender as suas redes. Iniciando 2021, é de suma importância que os municípios acompanhem as aprendizagens dos seus estudantes. O momento agora é de avaliar qual foi o prejuízo que a pandemia implicou na vida dos estudantes, fazendo uma diagnose e, a partir dela, direcionar, orientar e planejar o que precisa ser ensinado no ano de 2021”, enfatiza a consultora pedagógica da Mundo Educacional e mestra em educação pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Michely Almeida.

Marília cobra transparência e detalhamento no plano de vacinação da Prefeitura do Recife e do Governo do Estado

A deputada federal enviou dois ofícios às Secretarias de Saúde do Recife e de Pernambuco solicitando informações mais detalhadas


Diante de várias denúncias publicadas, nos últimos dias, nas redes sociais e em veículos de imprensa local sobre a aplicação de doses da vacina contra a Covid-19 em pessoas que, a princípio, não estariam enquadradas nos grupos prioritários, a deputada federal Marília Arraes encaminhou, hoje, ofícios com pedido de informações para as Secretaria de Saúde de Pernambuco e da cidade do Recife.

 

Nos documentos, a parlamentar solicita o fornecimento de detalhamento dos planos de vacinação, incluindo a identificação nominal das categorias que serão vacinadas em todas as fases da campanha de imunização, assim como dados relativos à lotação desses profissionais, que tipo de identificação será exigido para a realização da imunização e onde serão disponibilizadas as listas com os dados das pessoas imunizadas, além de outros questionamentos. Os ofícios foram endereçados aos secretários André Longo (Pernambuco) e Luciana Albuquerque (Recife).

 

“A chegada da vacina a Pernambuco traz também uma enorme responsabilidade de todos os gestores envolvidos no processo de imunização. São doses numa proporção muito limitada e precisam ser utilizadas seguindo critérios rígidos, que respeitem de fato as prioridades. Infelizmente, o que temos visto é uma sucessão de desencontros de informações e muita falta de transparência. Devemos respeito aos profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à Pandemia, assim como ao público mais vulnerável, como idosos e pessoas com deficiência. Não dá para ficar tratando uma questão como essa de forma genérica, sem detalhar cada ponto até a exaustão. Também não podemos conceber que pessoas furem a fila da vacinação”, destacou a parlamentar.


Atualmente, Pernambuco é um dos estados que apresentam alta no número de casos do Coronavírus. Há um crescimento da média móvel da ordem de 86%, com 241.409 casos confirmados e 10.031 mortes (dados até a última terça-feira). Já o Recife ocupa o sétimo lugar no ranking de mortes em todo o Brasil. São 2.825 mortes e 54 mil casos registrados.

Secretaria de Educação da Vitória divulga vagas remanescentes de matrícula na rede pública municipal

Neste dia 20 de janeiro, a Secretaria de Educação da Cidade da Vitória de Santo Antão, anunciou que ainda tem disponível 1.198 vagas para matrículas de alunos em toda a rede pública municipal. Os alunos ou seus responsáveis devem procurar as próprias unidades de ensino para mais informações sobre como proceder com as matrículas, levando: 2 fotos 3x4; declaração ou transferência da escola que estudou; cópias do cartão de vacinação, comprovante de residência, do cartão do SUS, do tipo sanguíneo, do cartão do Bolsa Família, do registro de nascimento, da identidade e CPF do responsável; número do NIS do aluno e número de telefone do responsável.


As vagas estão distribuídas da seguinte forma:


Escola Municipal Professora Aglaíres Silva da Cruz Moura (São Vicente de Paulo)


MANHÃ

6° ano (25 vagas)

7° ano (sem vagas)

8° ano (10 vagas)


TARDE

6° ano (25 vagas)

7° ano (15 vagas)

8° ano (20 vagas)

9° ano (5 vagas)


Escola Municipal Prefeito José Joaquim da Silva (Comercial)


NOITE

EJA I (30 vagas)

EJA II (30 vagas)

EJA III (120 vagas)

EJA IV (30 vagas)


Escola Municipal Duque de Caxias (Pirituba)


Pré I - A: 05 (Manhã)

Pré II - A: 04 (Manhã)

Pré I - B: 22 (Tarde)

Pré II - B: 06 (Tarde)


FUNDAMENTAL I


1° A : 04(Manhã)

1° B : 03(Manhã)

3° A : 04 (Manhã)

3° B : 03(Manhã)

4° A : 07(Manhã)

4° B : 06 (Manhã)

5° A : 02 (Manhã)


FUNDAMENTAL II / TARDE


6°A: 14

6°B: 14

7°B: 04

8°A:15

8°B: 16

9°A: 15

9°B: 16


EJA


I : 25

II: 20

III: 20


CAIC Diogo de Braga (Água Branca)


Creche (3 anos):

MANHÃ - 3vagas

TARDE - 2 vagas


Pré I (4 anos):

Manhã - 12 vagas

Tarde - 11 vagas


Pré II (5 anos): 30 vagas

Manhã - 11 vagas

Tarde - 12 Vagas


MANHÃ:


1º ano: 9 vagas

2º ano: 4 vagas

3⁰ ano: 10 vagas

4º ano: 12 vagas


Tarde:

5⁰ ano: 17 vagas

TARDE:


6⁰ ano: 12 vagas


7⁰ ano: 20 vagas


8⁰ ano: 1 vagas


9º ano: 0 vagas


EJA III: 5 VAGAS


Escola Municipal Santo Yves (Cajueiro)


MANHÃ


Pré I: 10 vagas


Pré II: 8 vagas


1° ano: 12 vagas


2° ano: 9 vagas


3° ano: 7 vagas


4° ano: 22 alunos


5° ano: 16 vagas


TARDE


6° ano: 13 vagas


7° ano: 21 vagas


Escola Djalma Eusébio Simões (Alto José Leal)


MANHÃ


Pré 1 - 15 vagas


Pré 2 - 6 vagas


2° Ano - 2 vagas


3° Ano - 10 vagas


4° Ano - 10 vagas


5° Ano - 14 vagas


TARDE


Pré 1 - 11 vagas


Pré 2 - 1 vaga


3° Ano - 8 vagas


4° Ano - 8 vagas


5° Ano - 5 vagas


Escola Municipal Madre Leopoldina (Campinas)


Pré I: 17 vagas


Pré II: 15 vagas


1° ano: 20 vagas


2° ano: 25 vagas


3 ° ano: 25 vagas


4° ano: 21 vagas


5° ano: 26 vagas


Escola Municipal Rotary (antiga Cardeal Roncalli – Praça 13 de Maio)


MANHÃ


Pré I: 11 vagas


Pré II: 18 vagas


1º ano: 18 vagas


2º ano: 12 vagas


3º ano: 25 vagas


4º ano: 23 vagas


5º ano: 24 vagas


Escola Municipal José de Melo Xavier Júnior (Sítio do Meio)


 MANHÃ

1º ano: 2 vagas

3º ano: 10 vagas

6º ano: 6 vagas

7º ano: 5 vagas


TARDE

1º ano: 5 vagas

3º ano: 6 vagas